Digo-te quem sou quando despertar

Há dias em que acordo e me sinto eu próprio. Noutras ocasiões, nem por isso. Por exemplo, na semana passada aconteceu-me uma situação curiosa. Acordei de manhã com a nítida sensação de que algo estava diferente. Durante alguns segundos, ainda hesitei. Tinha adormecido com as meias calçadas, mas não era isso. Apercebi-me então do que se tratava: na verdade tinha acordado a sentir que era um ardina. Imediatamente me ergui e dei um salto até ao quiosque, onde comprei um molho de jornais, e desatei então a correr pelo quarteirão a distribuir os ditos cujos de porta em porta. É que para complicar as coisas não tinha bicicleta. Nem sequer chapéu possuía, imaginem! Passei a tarde naquilo. Mas que canseira. E como se não bastasse, no final até me esqueci de guardar um jornal para mim.

10 de Junho de 2010

5 responses to Digo-te quem sou quando despertar

  1. Pedro said:

    Tenho de tomar dessa cena também..

  2. Sim sim… muito bom… acontece que não percebi patavina!
    (sabes… às vezes dá jeito lembrar que as pessoas não estão dentro da nossa cabeça! xD)

  3. José Durães said:

    @Pedro: Vende-se em qualquer farmácia. Espera aí, de que estás a falar?

    @Diana: Oh… não estão? Mas e então estas vozes que ouço dentro da minha cabeça, pertencem a quem?

  4. Sara laureano said:

    Tb qero ser ardina, percorrer a cidade e bater c o jornal nas portas das pessoas. Logo a seguir qero ser paparazzi, para tirar fotos as pessoas ensonadas, de robe, q ainda n beberam o café da manha, q saem a rua para apanhar o jornal fresquinho q distribui. Isto tudo de forma a dizer q gostei do texto.

  5. DragonBall said:

    És o Fernando Pessoa prosaico :P.
    Se isso aconteceu mesmo, então és bipolar XD

    No entanto, se queres disfrutar de uns bons momentos como ardina, recomendo-te este jogo:
    PaperBoy: http://www.tripletsandus.com/80s/80s_games/paperb

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *