O kindle surpresa

Ora vamos lá a isto. Na última iteração do seu dispositivo Kindle, vocacionado para a leitura de livros em formato digital, a Amazon decidiu apetrechá-lo com novas funcionalidades. Uma delas, a popular highlights, é bastante desagradável, por sinal.

Estava eu refastelado a folhear (não como quem folheia, mas como quem pressiona um botão) o livro (e-book) “The Modern Mind: An Intellectual History of the 20th Century”, adquirido na loja online, quando me deparo com uma passagem previamente sublinhada. Alto aí, não fui eu que sublinhei isto, pensei (enquanto pensava também em formas de acrescentar mais parêntesis aos meus textos). Por baixo da passagem destacada surge um número assinalando a quantidade de pessoas que achou por bem sublinhar aquela parte. Ponderei, ponderei e decidi indignar-me. Uma pessoa compra um livro em formato digital, na amazon, convencido que vem imaculado, novinho em folha, e quando dá por si afinal dito livro já vem riscado. Fui logo reclamar. Andar a vender livros em segunda mão, anunciando-os como novos? Não se faz.

Isto até poderia passar incólume, não fosse outra outra falha grave que o Kindle apresenta. Os livros tradicionais, ou seja, aqueles que, imagine-se só, são compostos por folhas de papel, possuem uma capa que permite que outra pessoa identifique facilmente aquilo que estamos a ler. A não ser que a publicação em questão seja a Gina, esse conhecimento pode ser utilizado como pretexto para meter conversa, no contexto do engate: “Olá! Desculpa, não pude deixar de reparar que estás a ler o Anna Karenina. Já agora, sabias que ela bate a bota no final?”. O Kindle, como não possui isso, dificulta a tarefa, retraindo potenciais pretendentes de efectuarem uma abordagem ao leitor(a). Eu próprio tenho sentido isso na pele. Antes de possuir o kindle, enquanto lia em espaços públicos era abordado em média por menos(-) 8 mulheres por dia, enquanto que actualmente sou abordado por menos(-) 15.

Jeff Bezos, se me estás a ouvir, sugiro que colmates esta lacuna lançando um Kindle com um segundo ecrã, posicionado na parte traseira, que mostre a capa do livro que está a ser lido no momento. Quem lê a Gina é que se calhar não vai achar muita piada.

9 de Dezembro de 2011

2 responses to O kindle surpresa

  1. Dragonball said:

    Se o que te preocupa é a socialização com mulheres, então o kindle é muito melhor que um livro. Com um livro tradicional elas podem ponderar se devem ou não falar contigo, tendo em conta as tuas preferências bibliográficas. Com o kindle, elas obrigatoriamente terão que falar contigo para saber que livro estás a ler.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *