O maior erro de Einstein

Apesar da crise, quando cheguei à bifurcação decidi virar à esquerda. Na realidade, a crise pouco ou nada teve a ver com esta minha opção. O que sucede é que um decreto-lei, aprovado na assembleia da república e promulgado esta semana obriga-me a começar, doravante, todos os post por esta expressão.

Atentemos àquilo que é difundido na televisão. Nos telejornais, todas as notícias estão subordinadas ao mesmo tema unificador. É possível observar indivíduos que estão tolhidos pela crise, que falam sobre a crise, que tomam opções condicionados pela crise, que encontram soluções apesar da crise e até pessoas que acham que a própria crise está em crise.

Isto é transversal a todas as espécies. Por exemplo, noutro dia uma cria de panda afastou-se dos seus progenitores e perdeu-se, conseguindo reencontrá-los finalmente após ter deambulado sozinho durante durante 24 horas. O feito desta cria é ainda mais admirável se considerarmos a conjuntura económica em que nos encontramos.

Estou a ser injusto na medida em que os telejornais não transmitem exclusivamente notícias sobre a crise. No final, há sempre um segmento informativo dedicado à metereologia. Se bem que mesmo aí, a crise é evidente devido à ausência de donzelas roliças que outrora marcavam presença neste espaço, sempre empenhadas em elucidar-nos sobre o estado do tempo em portugal continental e nas ilhas.

O maior erro de Einstein não foi ter acrescentado uma constante cosmológica às equações relativas à relatividade geral. Na realidade, o seu maior erro foi ter-se olvidado de acrescentar uma constante C, relativa à crise, cujos efeitos são mais perniciosos do que forças gravítica, nuclear e atómicas combinadas.

Infelizmente, vou ter que finalizar agora este texto agora. É a crise.

23 de Novembro de 2011

4 responses to O maior erro de Einstein

  1. Fiquei intrigado com a cria de panda que se perdeu. Isso aconteceu na floresta ou numa jaula de 5 x 4 metros?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *