O maior erro de Einstein

Ape­sar da crise, quando che­guei à bifur­ca­ção decidi virar à esquerda. Na rea­li­dade, a crise pouco ou nada teve a ver com esta minha opção. O que sucede é que um decreto-lei, apro­vado na assem­bleia da repú­blica e pro­mul­gado esta semana obriga-me a come­çar, dora­vante, todos os post por esta expressão.

Aten­te­mos àquilo que é difun­dido na tele­vi­são. Nos tele­jor­nais, todas as notí­cias estão subor­di­na­das ao mesmo tema uni­fi­ca­dor. É pos­sí­vel obser­var indi­ví­duos que estão tolhi­dos pela crise, que falam sobre a crise, que tomam opções con­di­ci­o­na­dos pela crise, que encon­tram solu­ções ape­sar da crise e até pes­soas que acham que a pró­pria crise está em crise.

Isto é trans­ver­sal a todas as espé­cies. Por exem­plo, nou­tro dia uma cria de panda afastou-se dos seus pro­ge­ni­to­res e perdeu-se, con­se­guindo reencontrá-los final­mente após ter deam­bu­lado sozi­nho durante durante 24 horas. O feito desta cria é ainda mais admi­rá­vel se con­si­de­rar­mos a con­jun­tura eco­nó­mica em que nos encontramos.

Estou a ser injusto na medida em que os tele­jor­nais não trans­mi­tem exclu­si­va­mente notí­cias sobre a crise. No final, há sem­pre um seg­mento infor­ma­tivo dedi­cado à mete­re­o­lo­gia. Se bem que mesmo aí, a crise é evi­dente devido à ausên­cia de don­ze­las roli­ças que outrora mar­ca­vam pre­sença neste espaço, sem­pre empe­nha­das em elucidar-nos sobre o estado do tempo em por­tu­gal con­ti­nen­tal e nas ilhas.

O maior erro de Eins­tein não foi ter acres­cen­tado uma cons­tante cos­mo­ló­gica às equa­ções rela­ti­vas à rela­ti­vi­dade geral. Na rea­li­dade, o seu maior erro foi ter-se olvi­dado de acres­cen­tar uma cons­tante C, rela­tiva à crise, cujos efei­tos são mais per­ni­ci­o­sos do que for­ças gra­ví­tica, nuclear e ató­mi­cas combinadas.

Infe­liz­mente, vou ter que fina­li­zar agora este texto agora. É a crise.

A pro­pó­sito do tempo que passa
Está o caldo entor­nado

Write a comment

Name *

E-mail *

Website

Message *

4 Comentários

  • Rafeiro Perfumado

    Fiquei intri­gado com a cria de panda que se per­deu. Isso acon­te­ceu na flo­resta ou numa jaula de 5 x 4 metros?

    11/23/11 – 8:27

  • José Durães

    Foi numa flo­resta, den­tro de uma jaula. Vivem os 3 numa jaula com essas dimen­sões algu­res na flo­resta, não me per­gun­tes porquê.

    11/23/11 – 0:53

  • Textículos

    Para pou­par na renda!?

    11/23/11 – 16:29

  • José Durães

    É capaz, muito bem visto! Além do mais, consta que dan­tes coa­bi­ta­vam numa cabana de bambú, bem mais espa­çosa, mas parece que aca­ba­ram por inge­rir a pró­pria habitação.

    11/23/11 – 17:05

Balloons theme by
Moargh.de