Procuro senhora de meia-idade para relacionamento sério

Aquilino já tinha estado nalguns relacionamentos afectivos breves e semi-breves. Até recentemente, a sua vida havia-se pautado sobretudo por uma sucessão de envolvimentos emocionais com capas de revistas e máquinas de voice-mail. Mas isso estava prestes a mudar. Naquele dia, à medida que pousava a edição de Janeiro da Marie Claire, teve uma epifania. Apercebeu-se da solução para o mistério do desaparecimento das peúgas na máquina de lavar roupa. Chegou também a uma outra conclusão, a nível pessoal: estava na altura de encontrar uma senhora de meia-idade para um relacionamento sério. Noutros tempos ter-se-ia contentado com uma entidade susceptível de passar no teste de Turing, mas isso agora já não bastava. Almejava algo mais. Ansiava ter alguém na sua vida, uma pessoa com quem pudesse disputar o comando do televisor e, em suma, ser feliz.

Naturalmente, decidir colocar um anúncio nos classificados do jornal. Queria que o texto do anúncio fosse cativante. Elegante, sob o ponto de vista estilístico, literariamente equilibrado, sem ser pretencioso e com uma pitada de humor. Que não empolgasse em demasia as expectativas das visadas e que mantivesse um índice de fanfarronice aceitável. Um texto que abordasse a sua calvície de uma forma descomplexada e jocosa, sem ser auto-depreciativo. Um texto incisivo que servisse como referência para toda uma geração (ou para 1/4 de uma geração, pelo menos). No fundo, pretendia um magnânimo tratado na arte de se bem promover visando despoletar um processo de corte, em menos de 100 palavras. Não sendo dotado do poder da síntese (nem, para que conste, de qualquer outro poder), resolveu pedir ajuda a terceiros.

Descreve-se em seguida o processo de selecção do amigo que iria ser incumbido da escrita do anúncio. Aquilino concebeu um diagrama de Venn representando dois conjuntos: amigos com capacidade de redigir textos sucintos e cativantes, por um lado, e amigos dispostos a ajudá-lo incondicionalmente, por outro. Fazendo a intersecção destes dois conjuntos, não encontrou ninguém. Acrescentou então um terceiro conjunto, amigos dispostos a ajudar a troco de uma avultada soma de dinheiro. Intersectando-o com o primeiro, encontrou então vários potenciais candidatos. Escolheu o que cobraria mais pela tarefa, uma vez que não queria que o adjectivo “avarento” constasse da sua descrição.

“Procuro senhora de meia-idade para relacionamento sério…”, começava assim o anúncio. Para deleite de Aquilino, as respostas foram-se sucedendo em catadupa. Todos os dias, a sua caixa de correio ficava atafulhada de correspondência proveniente de potenciais interessadas espalhadas por todo o país. O texto, esse, era de facto cativante e havia captado a atenção de um número considerável de donzelas, bem como de um moço meio coiso que ainda assim decidiu escrever e tentar a sua sorte. A ideia do anúncio tinha-se revelado um sucesso. À medida que ia vasculhando as missivas, Aquilino, sorriu. Já podia cancelar a sua subscrição da Marie Claire.

20 de Outubro de 2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *