Category archives: Textos

A idade dos porquês

“Pai, de onde vêm os bebés?”

Mal ouviu esta questão, Belmiro, o patriarca, ficou em pânico. Lançou-se na direcção da janela, estilhaçando-a, e caiu desamparado do sexto andar, aterrando em cima de alguns arbustos e papéis de um jornal bimestral …

Telefonema de algibeira

Às vezes recebo telefonemas de algibeira.
Quem me liga não é a pessoa propriamente dita, mas sim a sua indumentária.
Por exemplo, no outro dia o meu telefone tocou. Era uma chamada de Maria.
Do outro lado, uma cacofonia de …

Coisas que acontecem com alguma regularidade

“Meus amigos, o motivo pelo qual vos convoquei é bastante sério.”

Olegário mantinha uma postura grave. Ninguém ousava duvidar das suas palavras. O assunto devia mesmo ser sério, a julgar pelo cuidado que Olegário mantinha com a sua aparência, uma …

O futuro vem aí, disse-me um senhor no café

“Eu consigo prever o futuro.” disse Simone a Aquilino.

“A sério?” Aquilino estava visivelmente surpreendido com esta afirmação.

“Sim. Tenho poderes a nível da premonição de acontecimentos vindouros”

“Isso é bastante  interessante. Mais interessante até do que o facto de teres pé …

A melhor das intenções

Amália era uma pessoa que tudo fazia por mal. Tinha sempre a pior das intenções. Havia quem não aceitasse essa sua conduta. “Amália”, diziam-lhe os seus colegas de trabalho, “podes perfeitamente infernizar-nos a vida e colocar-nos em situações perigosas que …

O rapto de Olegário

Aquilino gostava da palavra corrupção. E da palavra banditismo. E também de estupefacientes. Mas só das palavras, não das acções as permeiam e que a elas estão inevitavelmente associadas. Aquilino era um fora-da-lei estritamente a nível literário. A polícia lexical …

O amor aquece os pés

Vivi com Semyonovna uma linda história de amor. Nunca mais me esqueço das palavras por ela proferidas naquele dia 23 de Outubro em São Petersburgo. Estávamos ambos regalados a olhar para o rio Neva quando ela se vira para mim e …

« older posts