Tudo o que você nunca quis saber sobre “como falar em público”

A simples antecipação do acto de falar em público é algo que, para muita gente, é deveras desagradável, chegando inclusivé a arreliar através da estimulação da função excretora. Felizmente, tenho uma vasta experiência no que toca a falar em público, mesmo em situações nas quais o público ao qual me dirigo é imaginário.

Mesmo que o dito público imaginário arquitectado pela minha imaginação nem sempre tenha sido favorável aos meus discursos, chegando a apupar-me de forma hostil por diversas ocasiões, aprendi imenso com essas situações. Sinto-me então numa posição priveligiada para discorrer sobre o assunto. Cá vão alguns conselhos.

1. Começar o discurso com uma piada. Nada melhor do que o humor para cativar uma audiência. Se se tratar de uma graçola potencialmente ofensiva e que possa ferir as susceptibilidades de uma determinada raça, perguntar de antemão se existe alguém na sala pertencente à raça em questão, para ter a certeza de que o público alvo da piada também é alcançado.

2. Fazer citações da bíblia, do corão, das crónicas de xenu e dos livros do senhor dos anéis, para apelar a todas as audiências.

3. Inventar uma história de vida que inclua uma infância pobre numa casa de zero assoalhadas junto a uma linha férrea, tendo de coabitar com 25 irmãos e contando com uma ovelha como única forma de subsistência.

4. Deixar crescer a barba. Afagá-la repetidamente com a palma da mão sempre que se queira transmitir um ar ponderado e introspectivo (Nota: a eficácia da utilização desta técnica por parte de mulheres nunca foi testada).

5. A nível da indumentária, no caso do homem, é aceitável usar fato e gravata, desde que conjugados com sandálias ou chinelos. As pessoas não gostam de indivíduos que se levem demasiado a sério. No caso da mulher, se a escolha da indumentária se revelar acertada, o discurso pode até ser passado para segundo plano.

6. Insultar a audiência logo no início, fazendo diminuir gradualmente a intensidade e a gravidade dos insultos ao longo do discurso. Desta forma, o orador demonstra que, graças à erudição contida nas suas palavras, está a inverter o processo de estupidificação natural do ser humano, iluminando o público com conhecimento e tornando-o gradualmente menos imbecil.

7. Sempre que quiser tentar justificar um ponto científico controverso, totalmente aldrabado e para o qual não exista o mínimo fundamento, iniciar a frase com “Uma equipa de investigadores japoneses comprovou que”.

8. Beber água com abundância, de preferência a meio de uma frase, dando goles prolongados de forma a que o público fique suspenso nas nossas afirmações.

9. Ser dinâmico. Promover a interação com o público e certificar que este se mantém sempre interessado na apresentação que está a decorrer e de olhos postos no orador. Como? Cá vai uma técnica infalível: desenhar um pénis na testa.

19 de Janeiro de 2011

4 responses to Tudo o que você nunca quis saber sobre “como falar em público”

  1. dragonball said:

    Gosto! XD

  2. dragonball said:

    Ehh os comentários aqui são moderados! Não há democracia! És a PIDE do wordpress!

  3. José Durães said:

    C’oa breca, tens toda a razão, caro dragonball! Já ajustei as definições, agora basta ter um comentário previamente aprovado para poder comentar sem pedir licença (seja ela de caça, ou de porte de arma).

  4. aderitomontes said:

    Não é facil falar em puplico ,as frases que estão inteorizaadas para representar esquessem ,é preciso muita pratica . ter muita tanquilidade .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *